terça-feira, 10 de julho de 2012

TEEN: Tecnologia, Educação, Empreendedorismo e Negócios. Especial para a Revista Cidade Verde: #THE30ideias

Nesta primeira semana de julho deparei-me com um desafio promovido pela Revista Cidade Verde: #THE 30 ideias. A publicação quinzenal pede que seus leitores enviem sugestões nas áreas de arquitetura, infraestrutura, transportes, trânsito, cultura, esporte, habitação, acessibilidade, saúde, educação, segurança e outros temas que precisem de soluções criativas para tornar Teresina uma cidade melhor.

Desafio Aceito - e me atrevo mais, minha ideia não é apenas para Teresina, mas para um Piauí melhor!

Para os brasileiros e muitos dos irmãos nordestinos que, estranhamente, não conhecem o nosso estado, nós somos aquela unidade federativa que disputa acirradamente, anos após ano, o título de estado mais pobre da nação. Afora um ou outro oásis econômico, nós não temos grande indústria, nem turismo, nem porto, nem multinacionais: apenas um deserto de "potencialidades" bradado aos quatro ventos pelos políticos demagogos em suas campanhas bianuais.

O Piauí não acredita no Piauí

Juntam-se a isso séculos de humilhação cultural e política, que resultaram em um povo que parece ter perdido a fé em tudo, principalmente em si mesmo. Um verdadeiro bullying histórico transmitido inter-gerações enraizado de tal forma que o futuro de todos os jovens piauienses almejam parece ser qualquer concurso público que apareça para ter "estabilidade", de preferência com o cargo comissionado oferecido pelo "padrinho" ou, com sorte, fazer uma pós-graduação relâmpago para eles irem dar aula em faculdades particulares para formar mais professores sem experiência de mercado.

E a ideia, cadê? Simples, em um estado sem infra-estrutura para atrair grandes empresas, viciado nas práticas políticas mais antigas e provincianas, a solução está na principal riqueza da sociedade atual: Informação. O chamado setor quartenário, que envolve computação, tecnologia da informação, telecomunicações, educação, pesquisa e desenvolvimento de serviços baseados no conhecimento não necessita de grandes investimentos tampouco de generosos incentivos fiscais dos governos, precisa apenas de uma matéria-prima que temos de sobra: capital humano de qualidade.  “O principal produto de exportação do Piauí é o piauiense” , disse certa vez o brilhante João Cláudio Moreno em uma entrevista. Temos pessoas que se destacam nas mais diversas ciências (humanas, exatas, letras, da natureza) mas o resto do mundo não sabe, e o pior, nós não sabemos.

O Brasil, e o mundo, sofre um apagão de profissionais de TI (Tecnologia da Informação). Em 2014 teremos 78.000¹ novas vagas para esses profissionais, e apenas 33.000 terão formação na área. Por que não criar uma agenda para a educação pública e privada em todas as escolas piauienses que prepare os adolescentes a partir dos 15 anos com aptidão para esta área do conhecimento, abordando disciplinas fundamentais como Ética, Empreendedorismo, Administração Financeira, Gestão de Negócios etc? Não estou falando apenas em formar um exército de programadores nerds (grupo no qual me incluo com muito orgulho), estou falando de formar jovens profissionais que saibam utilizar a tecnologia a seu favor, seja para criar novos negócios, seja para solucionar problemas nas mais diversas organizações e setores de mercado para os quais trabalhem, gerando mais empregos e receita em uma indústria limpa, barata e bilionária. Essa é a minha ideia TEEN!

“Aprender é a única coisa que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende”
Leonardo da Vinci

Grande Abraço